segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

Correio da Lola - "Foram-me à pensão, o meu querido Papa Francisquinho anda a telefonar para as Irmãzinhas do Carmelo, e agora... agora... o Eusébio. Será que o Mundo vai acabar em 2014?..."


Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas



Querida Lola:

Sou sua leitora, desde que escrevia crónicas para o "Notícias de Lourenço Marques", e acredito tanto nas suas palavras como no discurso do Pai Santo, Francisquinho, mas estou muito perturbada, porque vou ter cortes na reforma, acho estranhos os telefonemas de Sua Santidade... e agora (chora) morreu o Eusébio, um dos homens da minha vida. Eu acho que o Mundo vai acabar, já em janeiro...

Vera Jardim, Bairro do Catujal


Querida Vera:

Como sabe, o Mundo acaba um pouco, todos os dias, e, para muita gente, às vezes, até acaba, sem ter começado, como as abortadeiras do seu bairro, que fabricam dezenas de anjinhos para mandar para o céu, com agulhas de croché... Deixe que lhe diga que hoje, mal cheguei aqui à esquina, começaram todas aos gritos, a dizer que tinha morrido a Pantera Negra. Ora a Pantera Negra, deus me perdoe, é uma colega minha, ali, do quarteirão de cima, uma guineense, analfabeta e "agarrada" no crack, que o "Major" trouxe para Lisboa, para lhe dar trabalho, quando ainda era Cônsul Honorário da Guiné. A especialidade dela, embora o assunto não lhe interesse certamente muito, é a "espanholada", a punheta de mamas, e disso eles gostam, só que o problema das nossas mamas, ao contrário das da Teresa Guilherme e da Angelina Jolie é que são todas de plástico: aquilo basta um bocadinho mais de esforço e começa a rasgar. Ela adorava que lhe torturassem os bicos, a modos que havia dias que chegava aqui abaixo com as tetas em farrapos, como fica a bandeira nacional, naqueles dias em que o Alto do Parque é o Monte dos Vendavais, ou o Cavaco abre a fossa  para soltar asneiras, e eu pensei, desta vez mataram-na, mas não... era só o Eusébio, uma das glórias do Salazarismo. Eu até pensava que ele já estivesse morto, porque sou muito confusa da cabeça, imagine, querida, que pensava que era a Amália que ainda estava viva, e não ele. Coitado, temos pena, mas chegou a sua hora. Uma chutava com a goela, o outro cantava com as patas. Nesse tempo, o Futebol ainda não servia para branquear capitais: estava na sua infância, e só servia para branquear Regimes. Tenho de lhe confessar que o Eusébio nunca foi meu cliente, ao contrário de alguns colegas dele, das célebres cinco da manhã, em que todos os gatos são pardos. Sei que é uma linha que nunca terei no meu currículo, e por várias razões, a primeira, por que ele frequentava outras "geografias"; a segunda, porque eu, embora já vá longe, nasci... menino, e mesmo que o tivesse conhecido nesses bons anos, nunca teria tido a sorte de ser estreada por ele, que, dizem, adorava era desflorar meninas de 11 anos... É a rude voz de África, que quando se junta à voz dos Regimes, se eleva em cântico, e dá direito aos "Ballets Rose". Consta que o Eusébio era o prato de reforço desse refustedo todo, tendo introduzido a categoria do "grande e grosso", que nunca mais abandonou o nosso palco. Era a chaimite negra, e dura, o quebra gelo que abria caminho para a flacidez da brigada do reumático. Serviu o Estado Novo, e depois até conseguiu continuar, no meio de enfartes, rezas e mezinhas, a servir este Estado Velho, a que estamos todas condenadas... Lamento a sua morte, mas doeu-me mais a da Irmã Lúcia, que vivia exclusivamente para o Senhor e para o "Business". Os Três Éfes estão a chegar ao fim, incluindo Fátima, que pensa que se protegeu, ao ampliar-se, mas só vai dar mais trabalho aos demolidores de idolatrários, quando chegar a sua hora... Quanto à sua pensão, querida, olhe, nada posso fazer. Possivelmente, andou a descontar 40 anos, para receber agora 500€, que são o limiar da riqueza, na ótica da Paneleira de Estado, Paulo Portas. Teve azar: devia era ter feito como as suricatas da Assembleia "Nacional", dar faltas injustificadas durante cinco anos, e estar a receber agora 10 000€, como o Senhor Presidente da República. Com esse é que estou preocupada, porque, brevemente, não vai ter dinheiro para os medicamentos, e lá terá o seu célebre ataque de Boca em "O", o que ainda fará aumentar mais os juros da dívida. Comoveu-me vê-lo e ouvi-lo, ele, que nunca acha que é altura de se pronunciar sobre nada, dizer que o Eusébio era das personagens mais fascinantes que tinha conhecido, o que diz muito pouco sobre o Eusébio, e diz tudo sobre a Múmia de Boliqueime. Tenho muita, muita, muita pena dele, do Sr. Aníbal, que no organigrama do Pedro Miguel Cruz -- um homem que eu aviava com todo o gosto, ai, aviava, sim... -- só aparece ligado ao Banco de Portugal, por amor da santa, o rapaz enganou-se, ele esteve ligado a tudo o que é mau, em Portugal, a começar pelo BPN e a acabar no segundo resgate. Nós, por exemplo, que descontamos do corpo uma via inteira, não temos direito a nada, depois de velhas, se... se... quando lá chegamos, porque muitas de nós acabam esfaqueadas por pretos e moldavos bêbedos, os únicos que nos dão grandes fodas, mas depois ficam furiosos, quando descobrem que também temos "chicote"... Dura vita sed vita. Pensões, filha... acho que nunca verei nenhuma, aliás, minto, já vi as da Rua Bernardim Ribeiro, quando os vãos de escadas estão em dia de overbooking, e até foram juízes conselheiros que me as pagaram, para lhes satisfazer as bordas... Agora, preocupante, preocupante, são mesmo os telefonemas do Papa Francisquinho para as Carmelitas Descalças de Lucena. Toda a gente sabe que as carmelitas descalças, e até algumas calçadas, não podem falar, portanto, telefonar para lá é já saber, à partida, que o telefone se vai levantar e vai haver um enorme silêncio, a não ser que, como o homem tem um, aliás, vários parafusos a menos, tenha ligado, e dito, "olha, fala o Bergoglio, irmã, estás boa?...", e a outra, muda por castidade e voto, não pode fazer mais do que grunhir, "hmmmmm???...", e ele, "estou, sim, fala o Bergóglio, que estais a fazer?...", e elas, "HHHMMMMM!!!...". Só se pode imaginar que tenha havido uma grande pausa, muito sonsa, e Sua Santidade lhe tenha perguntado... "estás... estás... a... senti-lo?... sim, querida... hmmmmm... estás a senti-lo?... Queres mais?..." Eu acho isto decadente: prefiro os árbitros que veem cá, para serem fecundados, depois de terem estado a celebrar as derrotas da Seleção, entre pitas e muito álcool. Agora, um Papa, a fazer sexphone, isso, sim, querida Vera, pode ser o fim do Mundo, ou um ensaio geral para ele. Prepare-se, que o Ano do Cavalo vai doer. Kisses na xoxa, e um bom 2014.

2 Responses so far.

  1. A todos os leitores deste blogue, o desejo de um feliz Ano do Cavalo, de 2014 :-)

  2. Posso assegurar que o Eusébio tinha uma grande sarda. Tinha um pequeno defeito, o de confundir sexo com cona, e cona menina...

 
 

Blogger news

Blog Archive