#Post Title #Post Title #Post Title #Post Title
domingo, 24 de setembro de 2017

retrato de raposa no outono

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Chegou ontem, com o outono. Vestida das cores da terra e do branco das nuvens. Saltou o muro, bateu à porta e perguntou, tens um quadradinho de chocolate? Não tinha, não tenho, respondi-lhe. Apenas cacau amargo, três castanhas, uma beterraba. Ela torceu o focinho afilado e espetou um pouco mais as orelhas. Aceito um ovo cru, condescendeu. E bebeu-o.
Não estás muito longe de casa? perguntei. Depende, respondeu a raposa. De quê? Insisti eu. Ah, isso não te conto. E regougou um riso descarado. 
Como não parecia ter pressa de partir, fui buscar um bloco e os lápis e para não me esquecer dela, fiz-lhe o retrato. Mostrei-lhe. E as patas e a cauda? disse a raposa. Ah, isso não te faço, respondi. Está bem, então volto pelo Natal
[ Read More ]
sexta-feira, 22 de setembro de 2017

22 de setembro: Equinox (Peter Lowenstein)

[ Read More ]
domingo, 17 de setembro de 2017

reino funji

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

O céu, os arbustos, os ramos, os frutos, são o seu reino, o dos pássaros. O do gato é mais subtil. O muro ensolarado, o tronco rugoso da ameixoeira, a almofada à janela. E o das rãs e das osgas, dos ratos do campo, dos morcegos ao lusco-fusco, dos raros pirilampos na noite escura. O das buganvílias, das magnólias, dos malmequeres na primavera. O dos cães fiéis ao encalço dos donos. 
E depois os outros. Pequenos, carnudos, comestíveis, venenosos, acastanhados, branqueados, avermelhados, rugosos. Gostam do silêncio do outono e dos contos bem ou malfadados.
[ Read More ]
sábado, 16 de setembro de 2017

Maria Callas, uma partida há 40 anos. Foi enorme, sem nunca ter sido feliz

[ Read More ]
sexta-feira, 15 de setembro de 2017

Adeus, Cassini

[ Read More ]
domingo, 10 de setembro de 2017

belle époque

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Dás-me cinco das tuas plumas? Perguntou o chapeleiro à garça branca. Ela encolheu uma perna e a outra não. Emprestas-me quatro das tuas plumas para enfeitar o chapéu de uma rainha? A garça abriu o bico e piou.
O chapeleiro insistiu. E se forem apenas três, para o toucado de uma primeira bailarina? Duas? Uma, somente, para mim? A garça virou-lhe a cauda, atirou a cabeça para trás, alongou as plumas e dançou.
[ Read More ]
quinta-feira, 7 de setembro de 2017

Pleníssima lua

[ Read More ]
domingo, 3 de setembro de 2017

setembro

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

As uvas estão no seu ponto doce e os moinhos de vento a rodar. O campo é este lugar estranho e rude longe do mar.
[ Read More ]
sábado, 2 de setembro de 2017

Diário do fim da Geringonça - João Galamba, o eterno doutorando de João Constâncio," filho do outro" (Vítor Constâncio), foi ao smartphone e mandou ao "Chefe" (José Sócrates), o aviso que lhe tinham acabado de passar, de muito perto do "Bêbedo das Docas" (Passos Coelho), de que havia uma investigação com contornos mundiais, que metia tudo, o Lula, a Venezuela, o monhé Zeinal Bava, o vigarista da EDP, a Câncio, a Oldbrecht, a Abrantina, a Lena e até a delegação de Cascais do Salão do Reyno das Testemunhas de Jeová (D.ª Adelaide), e que era melhor o "Chefe" pôr em prática o Plano B, e deixar a casa na Avenida Presidente Wilson, e ir para a Tailândia, onde os rapazes são moles, mas os rústicos, que vêm da Austrália, bons naquilo de que ele tanto gosta e precisa. Tudo acabou na Cela 44, e agora só falta acabar o Galamba... :-)



Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas


O Galamba foi bom a passar a informação, sucinto e discreto, como a Fátima Campos Ferreira, quando mandava para o "Polvo" os avisos de que os jornalistas andavam atrás do osso :-)
[ Read More ]
domingo, 27 de agosto de 2017

água doce

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Talvez encha de novo o bebedouro dos pássaros e elas regressem, as rãs. Depois aquele coaxar repetitivo, a lembrar que em breve os ouriços do castanheiro cobrirão a curva da estrada.
[ Read More ]
quarta-feira, 16 de agosto de 2017

magnólia

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Escrevo-te duas linhas apenas, entre um livro e o feijão de debulhar. Sentávamo-nos no chão sobre uma manta às riscas e jogávamos à bisca e ao loto. As apostas eram feitas a feijão manteiga, catarino e encarnado, porque é feio apostar. Aposto que chego primeiro, aposto que te dou uma amona, aposto que amanhã faz sol, aposto que vamos ganhar. Inocente e amistoso esse tempo de agosto. O gelo a derreter nos copos de limonada, os quadrados de melancia na taça de barro e os dedos a escorrer o vermelho vivo do sumo. O mundo parava e nem os pés cresciam nas sandálias. Basta uma linha, duas são demais.
[ Read More ]
domingo, 13 de agosto de 2017

Perseides

[ Read More ]
sábado, 12 de agosto de 2017

Kunio Kobayashi (Shunkaen)

[ Read More ]
segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Lua

[ Read More ]
domingo, 6 de agosto de 2017

marcador

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas
uma flor chamada Boa Vista

Espalho os livros pelo chão. A escolha não é aleatória, fundamento-a nas saudades que tenho das personagens, das verdades e dos fingimentos. Depois cheiro-os, sinto-lhes o pulsar. Em agosto, apenas um para ler debaixo da buganvília em flor.
[ Read More ]
sábado, 5 de agosto de 2017

Ptolomeu III, Evergeta (246 - 221 A.C.)

[ Read More ]
segunda-feira, 31 de julho de 2017

Diário do fim da Geringonça - "The Braganza Mothers" avança em primeira mão: Cristiano Ronaldo, nu, desnudo, pelado, à poil & starck naked fica mesmo em prisão preventiva, por fraude fiscal e obstrução à Justiça. Mundo do (branqueamento de capitais) do Futebol em estado de choque (nota: se acertarmos, acertamos, se errarmos, tanto pior, é por que a realidade continua a tentar fugir de si mesma, que pena que nós temos da realidade...)

[ Read More ]

Jeanne Moreau (1928-2017)

[ Read More ]