domingo, 27 de abril de 2014

Correio da Lola - "Ando tão preocupada com o HM 370, a Ucrânia, e a santificação do nosso amado João Paulo II..."





Querida Lola:


Ando desesperadíssima com a vida, nem sei bem para onde me virar, só oiço falar de desgraças, o HM370 que nunca mais aparece, a santificação daquele que dizia para nunca usarmos camisinha, por causa dele, já levei dois primos para a Servilusa, um, de pegar de empurrão, outro de ter tido sexo desprotegido com uma Legionária do Senhor, e depois há a Ucrânia, um terra tão linda, tinha marcadas as férias da Páscoa para Chernobyl, e já nem fui, com medo da guerra...

Filomena Loureiro, Covas da Bem Lambida

Querida Filó:

Fico toda úmida, sempre que me escreve, mas manda -me umas cartas tão longas que parecem o cadastro do Pinto da Costa, mas como temos de ser umas para as outras, vou tentar responder por partes, que é das partes que a gente gosta. Olhe, querida, quanto ao MH370, espero que tenha percebido que está a ser enrolada q.b., como todos os parolos que assistem televisão. A televisão só deve ser usada para ver os relatos e os comentaristas de futebol das 2 da manhã, ou para ouvir a Marisa ganir, naqueles dias em que temos o coração cheio de ternura, e ficamos com a esperança de ter uma podenga abandonada, no terreiro das casas devolutas de Vila Real de Santo António, para agarrarmos nela e a alimentarmos, mas a verdade é que antigamente ainda se davam ao trabalho de gozar connosco, mas avisavam. Agora, vai direto, até por que a gente gosta. Olhe, querida, não acha estranho o Snowden ter revelado que o primeiro ministro mais escutado do Mundo, pelo Escarumba, era justamente o da Malásia?... Pois parece que era, e não devia ser para fazer sexphone, que a Michelle sabe bem que, a Oriente, a centimetragem é mais do estilo milimetragem..., aquilo não consola ninguém, a não ser que se adore mamar clítoris, deus me perdoe, portanto, a coisa passou-se assim, evidentemente que estamos perante um ato de guerra e basta ir ver os contadores do Braganza, para achar esquisito tanta e tantas visitas que de repente começámos a receber do Level 12, da Malaysia. Ao princípio, até pensei que era para ver dos sorteios dos Audis, daquelas faturas que as pessoas pedem em nome do Saloio de Boliqueime, mas depois percebi que estavam à espera de que fossemos os primeiros a revelar a boa nova e vamos ser. Olhe, querida, sei que não é muito dada a tecnologias, no fundo, é como eu, o máximo que sabemos é da impedância e da frequência de vibração dos nossos consoladores das horas solitárias, que também as há, de vez em quando... Então, o avião partiu de Kuala Lumpur, que, como sabe, é a terra dos koalas, e ia a caminho de Pequim, que, como sabe, é onde há a maior concentração de lojas de chineses do Mundo. Parece que o co-piloto estava a ouvir rap, quando o cota lhe disse, "olha, e se a gente, em vez de ir para aquela parvónia dos chinocas, voltasse para trás e atirasse com esta merda contra as Twin Towers de Kuala Lumpur?... Quando aquilo estivesse apontado, saltávamos de pára-quedas e sempre era um fim de semana diferente, chavalo..." No fundo, deve estar a achar estranha esta minha teoria, mas sabe que os pilotos, hoje em dia, são cada vez mais dados a desportos radicais, parece que os estou a ver a saltar de pára-quedas, agarrados um ao outro, a fazerem um "selfie", para o Instragram, enquanto as chinesinhas guinchavam, lá dentro, "hi, hi, hi!!!!", a caminho de se encancharem nas twins de koala. Parece que foi nessa altura que o outro disse, "tudo bem, good night...", desligaram aquela merda e riram-se, à oriental, tipo kung-fu dos 33000 pés. Esqueceram-se de que havia proteção militar, e quando se começaram a aprochegar muito da Malásia, levaram com um míssil e desapareceram no mar. Esta é a versão que corre no Conde Redondo, e parece que foi inventada pelo Miguel Sousa Tavares, naquelas noites em que tem brancas da "branca". A minha versão é um bocadinho pior, porque, como sabe, anda-se a preparar uma guerra terrível, uma coisa como nunca se viu antes, mas do estilo guerra limpa, em que só matam mortos e não se destroem muitos recursos, por que a Terra está à beira do esgotamento. Como sabe, a próxima guerra mundial vai ser informática, e nem vai ser preciso sair do sofá, envia-se um código e um pais inteiro fica desativado. Foi isso que fizeram ao HM370, naquela terra de ninguém que separa a Malásia do Vietname, alguém tocou num iPad, depois de ter recebido o OK de um lugar muito secreto, e tomou conta do sistema informático do avião. Como sabe, um viruzinho é uma coisa que sai baratíssima, hoje em dia, e dá muito jeito para uma emergenciazeca, o avião subiu, começou a despressurizar, as chinesinhas a fazer "hi, hi, hi!!!!!", depois desceu bruscamente, sabe que lá em cima as temperaturas são de 50 graus negativos, e a como não há pressão, as pessoas explodem de dentro para fora, pelos olhos, ouvidos e orelhas, até fico enjoada de escrever isto..., e quando o avião começou a voar baixinho, já ia tudo morto lá dentro, um drone, spé grande, bué da volumoso, da Boeing, com um alto comando secreto a manobrá-lo, a partir de terra. Eu sei que me vai perguntar por quê, mas a verdade é que algum dia tinha de ser, não é?, para se ver se funcionava... Já viu, filhota, a arma fantástica, para o futuro, poder desativar todos os aviões comerciais de um país inimigo, e pô-los a voar, tipo kamikaze, contra a Caaba Santíssima, em plena enchente de peregrinação?... Nunca haveria culpados, e choveriam Boeings da Air Qatar, em cima daquelas ridículas pedras negras que eles veneram, em redor do cubo. Foi um sucesso?... Claro que foi um sucesso, e como todas as operações de teste de novas armas de guerra, nunca saberemos que foi um sucesso, senão... muito depois. Agora, o que a vai espantar é que nós, a cauda da Europa, até tivemos um papel importante nisto, porque era fundamental desviar as atenções do que estava a acontecer, e foi então que entrou em cena um satélite alentejano. Ligaram para o satélite e perguntaram, "Ó cumpadre, viu passar um avião, um daqueles grandes?..." E o satélite, vi, sim, senhor, e então, para onde é que ele foi?... Olhe, cumpadre, cá para mim, ou foi para cima, ou foi para baixo, na sei bem dizer-lhe, mas se foi para baixo, é por que foi para o Algarve!... Claro que não era preciso mais nada, e quem consulta um satélite alentejano, preferiu a versão do ter ido para baixo, para o pagode estar entretido. Já imaginou o que custou andarem à procura de um avião num sítio onde ele nunca poderia ter ido?... Deve ter saído mais caro do que o odor de cadáver das roupas de Kate Healy McCann... E enquanto se mantinha a telenovela das rotas, do lixo a boiar, dos ultra-sons das lulas gigantes das fossas abissais do Índico, a fingirem que eram piu pius eletrónicos das caixas negras, que se iam apagando, o pessoal foi vivendo a coisa. A verdade é que, com combustível para oito horas, a manobra militar foi um sucesso: não só o conseguiram manter a voar invisível, como aterrou em terras amigas do Irão, ou algum vizinho do género, de onde voltará a reaparecer... quando necessário. Já viu o poder militar de um pais que consegue um feito destes?... Deve ser por isto, e agora respondendo a outra das suas inquietações, que toda a gente se está borrifando para os chiliques da Máfia Russa, na Ucrânia. É triste ver como, em duas décadas, um país que tinha as mafias todas a viverem à sombra de uma ideologia, tem agora uma ideologia toda feita e só feita de mafias. Fez bem em não ir para Chernobyl, deve ir no Inverno, quando eles fizerem um referendo, para integrar a República Autónoma de Chernobyl na Federação Russa, já que quem leva a Crimeia também deve levar Chernobyl, não acha?... Agora, no verão, nunca, por que corria o risco de vir de lá demasiado bronzeada, e devemos ter o máximo de cuidado com os melanomas, apesar de o tempo continuar meio invernoso. Quanto ao Woytila, querida, vai ser fantástico, voltámos à Idade Média, dois papas, em simultâneo, a cismarem sobre outros dois, um deles, um criminoso: o Diabo já montou tudo no Inferno, menos um altar, mas vai abrir uma exceção para o Woytila, que vai ter no Nono Círculo, direito a uma altarzinho, daqueles de Santo António, às escadinhas, uma coisa baratucha, até por 5€ isso se arranja hoje no IKEA, e vai passar a ser o Padroeiro dos Pedófilos. De cada vez que um daquele milionários suíços, um dos de Hollywood, ou um dos de Bilderberg -- que este ano se vão reunir na Dinamarca -- estiver para desflorar um menino ou menina de três anos, vai poder rezar, "São Woytila, fazei com que eu o encave bem, agora e na hora da nossa (costuma ser da deles...) morte..." É justo, tudo tinha um padroeiro, menos a Pedofilia, e o tantan Bergoglio vai-lhes dar agora um. É a caridade e a justiça feita, depois de séculos de desamparo e clandestinidade, e sempre que morrer um doente de Sida, também poderá a enfermeira agora dizer "que São Woytila te acompanhe!..." Mas olhe, falando de coisas divertidas, depois de tanto horror, imagine que a nossa amiga comum, a Laura "Bouche", quer agora a acreditação de longas noites de ação de formação, na Universidade Lusófona, quando lá ia à porta, e o matulão a mandava entrar, para uma das salas vazias, onde, às escuras, lhe dava brutas canzanadas, com aulas a decorrer ao lado, onde o Vasco Franco fingia que se mestrava... Parece que a nossa Laura passou lá mais tempo do que o Relvas, e só se lembra de lá o ter visto entrar uma vez, e por que estava com soltura dos intestinos... Eu acho justo: se ser vigarista, ladrão, aldrabão e traidor da pátria dá direito a diploma, com mais direito deve a nossa Laura receber um doutoramento honoris causa, pelas longas noites em que ali foi enrabada, em cima das secretarias, pelo segurança machão, enquanto o Armando Vara melhorava a sua quarta classe, em frente da Clara Pinto Correia, completamente bêbeda. É tempo de que nesta terra se faça justiça e se cumpra abril, não acha?... Kisses, desta toda, e sempre cada vez mais, mais e mais... sua :-*
 
 

Blogger news

Blog Archive