terça-feira, 15 de dezembro de 2015

Diário da Guerra - Camarada Arnaldo de Matos, grande educador da classe operária, considera que o massacre de Paris, perpetrado pelo Daesh, é um legítimo ato de guerra, e é, um ato de uma permanente guerra que a Europa tem de manter contra ele e os gajos da laia dele que por cá se mantiveram, Durão Barroso, Nuno Crato, Pacheco Pereira, Maria José Morgado, Jorge Coelho, José Lamego, Ana Gomes e Pedro Bacelar de Vasconcelos, entre outros. É o "Pügrèsso" :-)

 
 

Blogger news

Blog Archive