domingo, 9 de agosto de 2015

de passagem

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas


Não viajo no banco de trás, disse o sapo. E acrescentou, é ponto assente. Será, pensei eu, ainda me tramo com esta mania de adotar sapos. Mas acho-lhe piada, tem um humor escorregadio e quando dá gargalhadas faz abanar as canas da Índia. Assim posso sempre imaginar que estou do outro lado do mundo.
Respondi, está bem, levo-te num copo de água. Se deslizares não te queixes, pagas a multa se a brigada de trânsito nos apanhar.
Não gozes comigo, coaxou ele, ninguém acredita que os sapos também vão de férias.
Pois não. Estamos de passagem.

7 Responses so far.

  1. .

    .

    . e eu . que há tanto estou e estarei sempre do outro lado do mundo . porque são únicas as canas da índia e o seu abanar . eternizo estes dias de oiro . raros oásis de uma célere existência .

    .

    . _________________________________ . boas férias .

    .

    .

  2. says:

    E assim te pisgas... de fininho... tipo cana da índia sorrateira...

  3. Kika says:

    Kriu?

    Uma coisa que admiro nos seres humanos é a forma subtil como dão de frosques, assim como quem não quer a cana, querendo-a!!!

    Kriu!

  4. A Manelinha no Brasil?

    E eu com tanto trabalho para me empurrarem a cama agora outra vez para cima, ao menos, podiam fazer férias na horizontal, como eu, para apanhar os túneis de vento, em vez de andar neste leva e traz, pareço a campanha do PS: estou acamada desde 1917 e como eu 200 000 portugueses, mas quantos é que passaram já desde 1917?... Nenhum me tirou da cama, benzó-deus, o único que me deu qualquer coisinha foi o do professor Cavaco Silva, um santo, que deixou vir os pretos, que tiraram os empregos aos portugueses, que ficaram no quarto a bater uma punha,
    salvo seja,
    enquanto a terceira geração de cabo verdianos me avia as artroses, soubessem eles a carne de galinha velha que andam a papar ainda me saltavam mais para a espinha, ia ser uma sardinha, olha vou esticar agora o pescoço esguio esguio, que vou passar o Equador, devo ser a única inválida no Mundo que entra no Hemisfério Norte de cama articulada, deixa-me puxar para dentro as magrezas,
    quem me conhece enternece,
    ai,o farol aéreo de Dakar, lá começam as carapinhas,de aqui até à Cova da Moura é uma longa pista de aterragem, um vale de gritos e lágrimas, faço tudo, mas deus me livre de ser fistada,
    Maneilinha,
    tenha cuidado com os da favela, que gostam delas magras,ainda pensam que é algum lava jato que foi do Estoril para os educar,
    bronzeie-se e passe no Paraty: lá, são mais modestos e não precisam de ver o solzinho a dançar para acreditar em deus, eu também já não acredito em nada senão na multiplicação deste sofrimento,
    multiplicam-se que nem coelhos,e agora até vêm de barco, para me montarem como uma canoa

    Kisses da aleijada


    :-*

  5. ki.ti says:

    pisgam-se todos e quem se trama sou eu

  6. Felizmente é para longe. Já chega a concorrência no Cavalo Preto!!!

    Boas férias.

    Quem a conhece enriquece

 
 

Blogger news

Blog Archive