domingo, 13 de setembro de 2015

domingo à toa para esquecer o que não faz sentido

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas

Borraste-me a cara, disse o peixe. E soltou duas bolhas de ar. Não tens cara, disse eu. Com estas barbatanas não vou ser capaz de nadar, acrescentou o peixe. Pois não, assenti eu, mas falas. O peixe abriu muito os olhos, parecia incrédulo e desiludido. Eu também. Largo-te ao mar na maré cheia, na invisível lua nova e os olhos do peixe brilharam. Enrolei a folha de papel e é só ir ali e voltar.

3 Responses so far.

  1. A caminho do último fim de semana do verão...

  2. Coisas lindas de entreter a acamada.

    Pena só chegar às letras gordas

    Bem haja

  3. .

    .

    . em tempos . tive umas pantufas de quarto "quasi" assim . do feitio do peixe . e depois . eram muito quentinhas e sabiam tão bem nas noites de inverno . :) . até que a antecessora da Siri Francisca Menezes Fonseca dos Santos Pereira Jardim . as esfarrapou todas . :) .

    .

    .

 
 

Blogger news

Blog Archive