domingo, 21 de junho de 2015

solstício

Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas


Lançou-se à água como sempre fazia. Sacudiu as patas, alisou as penas, mergulhou no lodo o bico recurvado para cima. Saciou a fome como ontem saciara e amanhã quem sabe ou não sabe o que faria.
Entre o dia grande e a pequena noite respirou, ora num pé ora no outro a declinar o canto trissilábico que apenas ela conhecia.


7 Responses so far.

  1. Eu bem alço assim a perna, na minha esquina do Conde Redondo, mas é cada vez mais a oferta do que a procura, e não tem nada a ver com as alterações climáticas,
    penso eu de que :-)

  2. E aí está o verão.

    Quase, quase, a acabar Les Grandes Décorations :-)))

  3. Kika says:

    Kriu?

    Fazia-te sopa para o resto da vida...

    Kriu!

  4. says:

    Quem olha para mim apodrece :)

  5. Luis says:

    O canto trissilábico: "Le chant des oiseaux", Catalogue d'Oiseaux, de Olivier Messiaen, um crente de visões visionárias. Muitas das minhas cores também são Messiaen :.-)

 
 

Blogger news

Blog Archive