segunda-feira, 17 de outubro de 2016

O assassino de Arouca, Pedro Dias, está a monte e voltou a atacar. Procura-se, vivo ou morto

2 Responses so far.

  1. A opinião pública devia ser preparada para o tipo de criatura que está em jogo. Este monstro é como a incestuosa do Canidelo: mesmo encurralado, irá tentar não se entregar.

    Para acompanhar. Ambas os casos, aliás... :-\

  2. É uma observação que, tirada a brutalidade dos atos cometidos, tem algum paralelo com a cabeça do monstro que me persegue, desde 2007.
    A premeditação, a cegueira, o não hesitar no cometimento dos atos que possam apagar os rastos do crime estão presentes.

    O perfil foi friamente traçado pelo "Expresso": .
    “O seu comportamento revela que ele não queria de forma alguma ser identificado, razão que o terá levado a atirar a matar o casal de civis vítimas de carjacking."

    Mesmo na presente fase de encurralamento, continua a persistir e a continuar, todas a noites, a tentar "manter contacto" (!), por email.

    Portugal tornou-se num país perigoso :-|

 
 

Blogger news

Blog Archive