sexta-feira, 29 de abril de 2016

Ricos são bonzinhos?




Além do fascismo, o que catorze anos de um governo de esquerda mergulhado em escândalos de corrupção e grave crise econômica gerou foi a reabilitação dos ricos.

        Vi pessoas pobres elogiando os ricos, considerando-os os responsáveis pelo desenvolvimento da sociedade. Ricos são aqueles que geram emprego e renda. Os países mais desenvolvidos do mundo são ricos e capitalistas, enquanto os países mais pobres da África são aqueles que foram governados por comunistas.
        Já vi ricos falando isto a vida inteira. Mas por que há pessoas pobres falando isto? Como eu disse, é uma reação natural ao governo de esquerda. Tudo que é de esquerda é o mal. Tudo que é de direita é o bem. Sempre é lembrada a frase de Tim Maia: “No Brasil, prostituta se apaixona, traficante é viciado e pobre é de direita”. Ser de direita também significa considerar que os ricos são bonzinhos.
        Mas será que os ricos são bonzinhos mesmo?
        Não sou economista, nem historiador, nem sociólogo, mas vou dar minha opinião pessoal.
        Quem foi o primeiro rico do mundo? Haviam reis, donos de terras e donos de escravos e os ricos geraram profunda divisão social até o século 20. Foram milhares de anos em que rico nenhum foi bonzinho.
        No século 19, a revolução industrial acentuou as desigualdades sociais. Nas fábricas, os operários começavam a trabalhar ainda crianças e permaneciam dezesseis horas no ambiente de trabalho, a troco de migalhas.
        Quando os primeiros trabalhadores e trabalhadoras começaram a se revoltar contra as condições de trabalho, foram recebidos com a morte.
        Só no século 20, a situação começou a melhorar em países do primeiro mundo. O trabalhador começou a receber melhores salários, obter uma jornada de trabalho menor, entre outros benefícios.
        No terceiro mundo, porém, as condições dos trabalhadores continuaram iguais.
        Uma empresa multinacional pode em seu país de origem como Estados Unidos, Alemanha, Espanha, Portugal, pagar salários excelentes, mas no terceiro mundo explora os trabalhadores como sempre foram explorados. Uma empresa pode pagar 12 euros por hora a um trabalhador na Europa, mas paga 1 euro por hora no Brasil, mesmo que o lucro no Brasil seja maior do que o lucro na Europa.
        Existe uma conspiração no terceiro mundo para que o salário mínimo não fique parecido com o do primeiro mundo. Conspiração que envolve empresários e governos. Um governante supostamente de esquerda se elege e não tem coragem de aumentar o salário mínimo. As populações do terceiro mundo não se organizam em prol de uma greve geral por tempo indeterminado, exigindo que o salário aumente. Pelo contrário, o grevista é considerado um vagabundo, baderneiro. O objetivo do pobre não é lutar para melhorar o seu salário, mas jogar na loteria para ficar rico. E quando ficar rico, vai pagar salário mínimo a seus funcionários domésticos.
        Os capitalistas gostam de dizer que o empresário gera riqueza. Gera trabalho e desenvolvimento. Por qual motivo uma cidade grande é tomada por favelas, pessoas miseráveis, poluição de córregos e rios, criminalidade? isso acontece porque além do desenvolvimento e riqueza, o capitalista também gera desigualdade social. Se os ricos fossem bonzinhos, construiriam casas para os trabalhadores e não poluiriam rios. Dariam escolas para os filhos dos trabalhadores. Mas eles dizem que o responsável por tudo isso é o governo, ao mesmo tempo em que não querem pagar impostos. Ou seja, esperam por milagres.
        A sociedade como um todo, em qualquer parte do mundo, considera que ficar rico é um merecimento ou uma sorte. Que a pobreza é um estágio natural da humanidade. Todo mundo já foi pobre, até miserável, e, graças a seu esforço pessoal, ficou rico. Ninguém gosta de dizer que isso não é verdade, que ficar rico é uma exceção e que a maioria das pessoas veio ao mundo para viver a vida normalmente, tranquilamente, ganhando o pão de cada dia.
        Todo mundo deveria ter o direito de ter sua casa, seu carro e um salário razoável para viver tranquilamente. Não é assim que funciona no primeiro mundo? Porque a população do primeiro mundo é mais especial que a do terceiro mundo? Por que somos inferiores?
        É interessante também lembrar da influência da religião sobre a pobreza. Houve um tempo em que se considerava que o reino de Deus era dos pobres. Então era bonito ser pobre. Hoje, mudou. Hoje é a teologia da prosperidade. O reino de Deus é dos ricos e ter dinheiro é uma questão de fé de merecimento religioso. Mas Deus não vai deixar ninguém rico. No entanto, acho muito mais interessante que uma pessoa acredite que não existe pecado em ser ter dinheiro. Chego a acreditar que muitos poderosos, no passado, utilizavam a desculpa de que o reino de Deus era dos pobres para poder ficar com todo dinheiro. De fato, isso já aconteceu com profetas que previram o fim do mundo e ficaram com todo o dinheiro dos crentes.

 
 
 

Blogger news

Blog Archive