quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Correio da Lola - "Tenho muito medo de que o meu marido apanhe o Vírus da Zica..."


Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas



Querida Lola:

"Vivo em pânico, agarrada à televisão. Qualquer canal que abra, só aparece o Cristiano Ronaldo e o Vírus da Zica. Eu sou casada há cinco anos, e tenho um pavor horrível de que o meu Márcio apanhe o Vírus da Zica... Que posso eu fazer?..."

Maria Adelaide Poiares Verde, Vagos



Querida Milai, minha rica Milai, como eu a compreendo: a televisão, hoje em dia, está reduzida ao Cristiano Ronaldo, ao Vírus da Zica, aos "migrantes" que violam gajas descompensadas, e sei lá que mais. Para dizer a verdade, tem mais sorte do que eu, que quando ligo a televisão só me aparece o Mário Centeno, coitadinho, o desgosto que aquela mãe, a Yvette Centeno, deve ter tido, com um filho com aquela cara... É por essas e por outras que elas depois se refugiam na Literatura, com tantos desgostos da maternidade... mas olhe, adiante, coisas do passado, se só lhe aparece Cristiano Ronaldo e Vírus da Zica, ligue para a Correio da Manhã TV, CMTV, que é o único sítio de Portugal onde ainda se podem ter novidades. Eu agora ando doida com aquela telenovela da Câncio e daquele que diziam que era engenheiro, mas não era, o Sócrates, todos os dias há uma novidade, parece que ela recebia 10 000€ por cada notícia em que era apresentada como "namorada" do figurão, meu deus, estas jornalistas andam mesmo ao preço do saldo, embora eu goste muito mais daquela parte em que ela era paga para fingir que ia de viagem com ele. Parece que havia avenças com a Groundforce, ela era carregada com ele no portão VIP, mas depois nunca chegava a entrar no avião, já que vinha para trás, no riquexó, e voltava a ser depositada nos hangares de arrumação dos aviões, para ser despejada num táxi da Segunda Circular. Quando ele voltava de férias, enfiavam-na outra vez pelos fundos, coisas que já não seriam possíveis hoje com o Terminal 2, e depois aparecia na "Caras" e na "Lux", já de braço dado com ele, por amor da santa, cada um deles a frequentar o seu colo próprio, quanto custa manter uma mentira na Opinião Pública, deve ser isto o Progresso, também, se não for, por onde andará ele, não é?... A realidade é uma coisa muito difícil hoje em dia, e real, real, só mesmo o Vírus da Zica, embora, querida, eu acho estranhíssimo que ande preocupada com o seu marido apanhar isso, já que só as mulheres de cabeça em cone, que estão grávidas de filhos microcéfalos, é que apanham o Vírus da Zica. Ora o seu marido não é mulher, quer dizer, penso que não, também não deve ter a cabeça em cone, e portanto também não deve estar grávido, muito menos de microcéfalos, pelo que certamente não deverá integrar um grupo de risco. Agora, uma coisa é certa, isso veio para ficar e ficará, pelo menos, até arruinar o Carnaval do Rio e as Olimpíadas, depois, devem arranjar outra doença que dê lá para os lados da Rússia. A verdade, meu amor, é que estas doenças de conveniência, para além de manterem viva a indústria farmacêutica, que tanto precisa, sempre introduzem um certo frisson e uma certa adrenalina no novo monótono quotidiano. Se me perguntar se o Vírus da Zica já afetou o Conde Redondo, mentiria se dissesse que não, claro que afetou, minha querida, mas já tivemos tantos vírus aqui que, mais um, menos um, é como quem diz. A Vanessa, uma das nossas mais loucas, uma genuína Mato Grosso, na forma e no conteúdo, uma querida, que ataca na esquina da Luciano Cordeiro, foi talvez a primeira a achar que tinha os sintomas, mas ficou uma semana na dúvida de saber se aquilo eram febres, se calores, e quando chegou ao pé de nós com os olhos todos inchados, por amor da santa, se cada uma de nós que por aqui anda tivesse Zica, de cada vez que aparece com os olhos inchados... Querida, imagine se, em vez de aparecer com os olhos vermelhos, você aparecesse, como a nossa Diana, com os olhos todos negros?... Querida, violência doméstica pura, o homem dela bate-lhe muito, explora-a, trata-a como uma cadela, mas ela não chora, adora-o e anda com os olhos todos numa pasta, mal seria que nós pensássemos que ela tem Zica, aliás..., já viu que epidemia que teríamos neste país, se, de cada vez que uma mulher aparecesse esmurrada nos olhos tivesse sido picada pelo mosquito?... Os piores mosquitos deste país são os punhos dos homens, querida, que odeiam as mulheres e estão sempre ansiosos por se virem entregar nos nossos braços, para lhes darmos todo o consolo de que precisam. Só em Portugal seria possível o êxito da nossa querida Sheilinha, com as legítimas, tanta vez, a telefonarem-lhe para o 927362484, completamente doidas, a chamarem-lhe "puta e vaca", e ela a dizer, "pois sou, amor, pois sou...", que vidas tão duras que nós temos, não é, minha querida Milai?..., deixe-se de preocupações, deixe as coisas incertas e concentre-se nas coisas certas, naquilo que todas temos, e de que não podemos escapar, a Morte, a bancarrota e a virgindade (de mulheres) da Senhora de Mota Amaral, concentre-se nisso, já que não vai ser um pobre de um vírus que agora nos vai perturbar, querida, aliás, no fundo, já imaginou se o seu Márcio pudesse apanhar, e apanhasse, mesmo a Zica, talvez ele ficasse mais ardente e a consolasse com os calores dele, coisa que há cinco anos decerto não faz, não é, minha fofa?... Vá embora, e kisses na sua zica sumarenta.
 
 

Blogger news

Blog Archive