quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Grandes êxitos do "The Braganza Mothers I" (2006/07): "A Amália e o "Diário da República"



Neste blogue praticam-se a Liberdade e o Direito de Expressão próprios das Sociedades Avançadas


Lembro-me eu, ainda não estava naquela fase de desligar sistematicamente a televisão, e "The Voice" ainda estava viva, de assistir a uma coisa chamada "Lançamento dos Poemas da Amália".
Ora eu pus logo os corninhos em pé, porque coisa escrita pelo punho daquela mulher, ou era para fazer cair o Carmo e a Trindade, ou era feita por mão alheia, porque ela já mal se tinha de pé, quanto mais escrever uma linha direita que fosse...
Depois, aparecia ela, toda recostada numa cadeira, já bem regada, para aguentar a cena, e uma franga qualquer -- adorava ter escrito o nome dela num papel, porque são estes pequenos protagonistas secundários que realmente escrevem a História -- uma franga que cantava as virtudes daquelas Rimas do Gargalo.
Achei logo que andava por ali abutre a tentar sacar papel, à pala daquele cadáver adiado, que o álcool tão bem conservava, e a confirmação veio logo a seguir, quando a entrevistadora se virou para a Gloriosa, e lhe perguntou, "então, Dona Amália, o que tem a dizer sobre os seus poemas?...", e a outra, olhar vidrado, vira-se para ela, ainda a tentar manter-se direita, e lança-lhe, com aquela fulminante voz de carrascão: "QUAIS POEMAS!!??..."
Coitada, nem a desgraçada sabia o que estava a fazer ali, nem o que lhe estavam a cozinhar nas costas.
Enfins, de outroras, ainda os dinossauros não estavam todos em museus.

Perguntar-me-ão o que é que isto tem a ver com o Choque Tecnológico, o Período Quaternário, e a Primeira-Ministra de voz agastada e cristalina. Pois a verdade é que quando a vi ontem, a anunciar que o "Diário da República" deixava de ser papel para ser um amontoado de megabites, pensei logo na Amália: naqueles dias em que o incauto cidadão quiser ir confirmar as nomeações-sombra, os valores das remunerações, e o teor das cláusulas, em caso de despedimento compulsivo dos amiguinhos, lá irá a maldosa mão da Sonsa Primeira-Ministra arrancar a tomada da parede, provocando um apagão informático e luminoso, para poder soltar, logo a seguir, aquele seu característico guincho de bichona pastosa: "QUAIS NOMEAÇÕES!!!???..."
 
 

Blogger news

Blog Archive